Ontem, assistindo um trailler da Disney,  parei para pensar quantas associações existem entre a vida real e a imaginada quando pensamos no furdúncio que foi a mídia em cima do casamento de Kate e Charles. Ele, símbolo cobiçado da realeza, e ela, a plebéia que conquistou um sonho, o de se casar com o príncipe. A começar que o nome plebéia como a atual princesa ainda é chamada, já se trata de uma discriminação, como a outra que limpava o chão da família rica. Comecei então a devanear nas semelhanças da sua história com a Cinderela.

Assim como ela, também se preparou para o grande baile, mas o seu vestido, também azul, foi imitado no mundo todo. O sapatinho de cristal do conto de fada se transformou no anel que ela exibiu durante o noivado. Todos querem ter, mesmo que de vidro e de gosto bem duvidoso, que ao meu ver, pode se encaixar com o prestigio da nobreza mas não cai nada bem em uma excursão no Iguatemi ou Daslu, que seja. Nem mesmo numa festa de casamento high society.

Olha as donzelas invejosas aí...


Mas enfim, voltando às coincidências, mesmo que meio entortadas, acho que Kate trouxe para vida real um pouco do sonho de cinderela que toda criança e mulher teve um dia. O casamento perfeito, a beleza imaginada, o glamour das roupas, ser escolhida pelo melhor… Mas, pega isso tudo e coloca no mundo dela? A menina é uma it girl modernosa, que sai nas ruas vestida como boa parte das mulheres normais, seu vestido foi escolhido de forma que não ficasse tão papagaiado, sua postura não é angelical, tem curvas e provavelmente celulites, estudou na mesma universidade do príncipe, e ainda acho que deve pegar no batente. Só falta ter um blog para contar seu dia a dia!

Ela personalizou o sonho da Cinderela, mas ao mesmo tempo transformou o encanto em um paradigma. Aquele sonho de outrora não se encaixa em mundo algum, a não ser os que antes não eram transmitidos pela mídia. Algo que não conhecíamos, mas que agora estamos cada vez mais próximos.

Se Kate for igual a irmã, a realeza vai ficar mais divertida.

Um dado interessante, para fechar essa bela história, é que a repercussão nas mídias sociais foi 3 vezes maior nos EUA do que na própria Inglaterra. Por que será? rsrsr