Como era de se esperar o mundo do faz-de-conta de mamãe acabou e eu tive que voltar para a dura realidade do trabalho. Para algumas mulheres é um alívio e para outras um segundo parto e eu fiquei com a segunda opção. Não esperava que fosse acontecer, mas aconteceu.

Claro que somado ao foto do desmame da mãe tem mil e uma coisinhas espetando mais a mais difícil é ver minha filha rindo para a babá comigo ao lado. É duro aceitar aquele lindo sorriso e ficar lembrando disso durante todo o dia para chegar em casa tarde e ficar esperando o fim de semana para ter sua filha só para você. Podem falar que devia estar feliz, que ela está ótima e o que quiser mas coração de mãe de primeira viagem é assim e ponto. Pelo menos o meu.

Sinto falta do choro, do cocô, do peso, do sorriso, de tudo! Bom e ruim, tudo!

Sei que isso passa, ou não. Mas o que fica é aquela pergunta,pra que? Pra que se matar e não viver a melhor fase da sua vida com seu filho? Para ser moderna, para não ficar sem dinheiro (essa é a mais importante). Para o meu futuro e o da minha filha, essa é a resposta. Não quero ser mãe que fica no pé, mesmo sabendo que vou ficar mas não quero só fazer isso. Tenho para mim que filho é para o mundo e é assim que pretendo criar os meus, mas que é duro para cacete é.

O que resta é aproveitar cada momento com ela mesmo cansada, deixar as chatices do lado de fora, esquecer os outros e amar muito. E claro, pedir para a babá filmar tudo.