Esse carro é bom, além de fazer um barulho gostoso posso ficar olhando para eles. Tô feliz da vida aqui! Esse cara aí dormindo mal perde por esperar...

Tiramos duas semanas de férias antes do batizado da Malu e por esse motivo fiquei bem afastada do blog. Fomos uma semana para floripa e a outra para o rio e carreguei a Malu de avião porque considerei que viajar de carro por tantas horas seria muito árduo para ela e para nós dois.

No avião o que é importante é informar que tem um bebê de colo para que coloquem na primeira fileira e levar a certidão para poder embarcar. Achava que dentro do avião o bebê viajaria em uma cadeirinha especial ou receberia algum tratamento difencial mas não, a única coisa que temos é o acesso ao guichê preferencial, então não é necessário chegar tão cedo feita a reserva das cadeiras com antecedência.

A grande sacada é carredar o bebê no colo com um chupeta ou mamadeira para as decolagens e aterrisagens, evitando assim uma possível dor de ouvido devido a pressão. Ah, mas e o choro? Sim, ele aparece e só quando você tem um bebê no colo que entende que as pesssoas que estão ali se importam menos do que você imaginava antes de ter filho e para as que se importam você deseja bon voyage.

O mais problemático mesmo é a rotina. Eu tirei a sorte grande porque a Malu é muito boazinha e para ela é como nada estivesse acontecendo, eu é que quase morri de dor nas costas com a falta da banheira e do trocador. O duro foi que ela iniciaria com o suquinho e depois com a papa de frutas e isso que já não estava no meu script teve que esperar mais um pouco.

Enfim, saldo da viagem foi Malu cansada e a mãe estressada mas podemos mostrá-la para os amigos no Rio e de quebra visitar a casa das vovós pela primeira vez.