Estou tentando entrar na linha depois da gravidez mas descobri que tenho mais desejo agora. Não consigo largar o bolo de laranja, o frozen e o sorvete que agora como junto com a ração humana para ver se melhora a situação. Sim, sou daquelas que junta o Mc Chicken com a Coca Diet.

Então li esse trecho nesse site quando busquei pelo assunto: Cerca de 45% das mulheres obesas no mundo inteiro ganharam seu peso extra após a gravidez. Inspirador não?

Comecei correndo na esteira do prédio como todo ser bem intencionado que sabe que não vai durar muito. Na primeira vez já me senti ótima,  nem parecia que tinha mais de 10 meses que não corria. Mas a alegria durou pouco porque o Ph do leite mudou e a Malu rejeitou. Primeiro ponto para o sedentarismo. Depois soube que se tirasse o leite e desprezasse após cada corrida poderia dar certo. Segundo ponto para o sedentarismo patrocinado pela minha preguiça. E por fim me deu uma baita solidão ter que correr olhando o paredão. Terceiro e último ponto.

Fui então atrás de milagres porque a carne é fraca. Rapidamente descobri que nesse mundo de estética e ginástica tudo que é bom e promissor deve ter power no nome e ser powermegablaster caro. Estou experimentando um aparelho que se chama Power Shape para melhorar a aparência das celulites e hoje vou testar uma aula de Power Plate, um tipo de aparelho vibratório que promete a equivalência de uma aula de musculação em apenas 30 min. Para quem é adepto do movimento “As Vezes Acordo Querendo Ser Madonna” como eu basta dizer que ela tem um desses em casa. Mas porque ainda acredito nessas coisas? Porque eu adoro marketing e ser enganada por ele, além disso é muito mais fácil que largar o bolinho e correr no prédio ora bolas.

Mas a amamentação é a grande bem feitora para retomar o corpo. Li em um site sobre amamentação que perdemos cerca de 500 calorias/dia amamentando e que o corpo gasta cerca de 900 calorias para produzir o leite. O que parecia um milagre então aconteceu, minha barriga está voltando cada dia mais e sem dúvida amamentar o dia todo me ajudou muito a me livrar daquilo que parecia ser o irmão da Malu esquecido pela obstetra na hora do parto. Notei  que durante as duas semanas em que a Malu mamou de 2 em 2 horas acelerei o emagrecimento naturalmente. Claro que mamar de 2 em 2 horas não é a melhor opção e foi um alívio quando ela retomou o ritmo natural.

A natureza realmente é perfeita mas no meu ponto de vista pecou num aspecto… Por que fazer os bebês sofrerem tanto (consequentemente as mães) com seus aparelhos digestivos e  tanta cólica durante os 3 ou 4 primeiros meses? Deve ter alguma explicação divina que não me foi abençoada.

Post patrocinado por MC Donaldo.