Passei por várias necessidades  ao longo desses curtos e rápidos 2 meses de vida da Malu. A primeira, e mais difícil, foi a da saída da maternidade. Por sorte pude contar com a ajuda de uma super mãe e uma enfermeira que contratei lá mesmo no Pró Matre. Ela me ajudou com os primeiros banhos, as dúvidas da icterícia, os alívios das cólicas e principalmente com o meu maior fantasma, a amamentação. Foram 40 dias de convivência e apego. Mas uma profissional dessas custa caro e acaba não se adequando a outra fase da necessidade. Agora me vi precisando de alguém para ajudar no dia a dia, já pensando no retorno do trabalho, e nessa hora é que vem a dúvida entre o que é melhor: ter uma pessoa em casa ou colocar na creche.

Pesquisando com pediatras, outras mães, e me baseando em minhas próprias necessidades, conclui que era melhor ter uma babá até ela se fortalecer, porque nos primeiros meses a convivência com outras crianças é um grande foco de doença, fora que meu longo horário de trabalho se tornaria um estresse com o relógio para apanhá-la.

Depois de várias entrevistas e uma tentativa estou muito satisfeita com a escolha. Mesmo não sendo tão fácil assumí-la, jáque a nossa vontade é de estar perto o tempo todo ou de ter mais gente junto. Com o passar do tempo, agora com 2 meses, meus fantasmas se foram. Estou mais confiante que tudo vai dar certo e meu fantasma noturno se foi, antes de 1 mês não consegui dormir com a Malu porque simplesmente não pregava o olho e de manhã estava um caco e sem leite.

Hoje ela já dorme sozinha quando a Fê não está, enquanto a assisto pela babá eletrônica, que já virou um item indispensável. Aliás, a babá eletrônica é a liberdade em forma de celular que só recebe. A minha tem uma tela pequena que carrego para cima e para baixo em casa agarrada no sutiã, uma coisa tipo celular de mãe cafona. A proveito e já deixo pendurada uma chupeta no meio do peito para os momentos rápidos. Mentira!!! Não surtei ainda.

É muito acolhedor poder acordar no meio da noite com a Malu imitando o Pato Donald. Até ela começar o chorinho sei que vai dar tempo de eu despertar aos poucos e me organizar.

Aproveito para recomendar o site que encomendei a minha. O bom seria ir para Miami buscar mas quem não pode vale a pena pedir para alguém ou comprar pela internet. Arrisquei nesse site e gostei bastante, afinal ela saiu por 1/3 menos do que na Alô Bebê. Vale dar um pulo na loja, escolher a que quer e mandar trazer. Só recomendo que seja com antecedência porque infelizmente nossos correiros ainda demoram demais para entregar as mercadorias quando chegam no Brasil.