f2OmQc1cjn2jtzj3K433EySoo1_400

Os medos chegam a qualquer hora, mas  preferem as  madrugadas. Chegam de todos os cantos e ficam rodiando a minha cabeça feito muriçoca.

Medo da barriga não crescer, medo dela crescer demais, medo de adoecer,  de não saber pegar o nenem, de se mudar,  da obra não dar certo, de não ter o quarto pronto, dele nascer antes do tempo, de não saber cuidar, de entrar em pânico, de não ter apoio, de ter depressão pós parto, de não ter leite, de assalto, de não ter grana, de não ter ninguem para ajudar que entenda da coisa, de perder o marido, de me perder, de perder, perder e perder de novo, tudo o que possa imaginar, até mesmo a coisa mais fútil nessa hora que eu posso pensar, como o meu cabelo.

Até que chega a manhã e a muriçoca se transforma na leoa valente. Quer resolver tudo numa bocada só e fica ansiosa por que no fundo sabe que tudo isso só causa stress e ele prejudica a cria. Opa! Opa! Opa! Prejudicar a cria?  No way meu bem! Bora colocar esse bloquinho na rua!

Como fazer para mandar o medo embora então?

Tentei acunpuntura mas não fui feliz. Não funciono com floral de bach também. Peguei um papel que prometia ensinar a meditar em duas horas por 120,00, meditei 2 horas pensando até cair  na realidade que meu senso de urgência e desconfiança é maior que isso!

Ouvir música me faz bem demais, mas quando meu telefone está naqueles dias me estressa. Decidi que vou recomeçar a ginástica. Light, bem baiana. E a melhor decisão: empacotei os medos e ansiedades e coloquei metade do saquinho que carregava nas costas do maridão! O super poderoso rei da família! Pronto, agora vou levando meu saquinho menor até onde der.

A primeira coisa que aprendi com a gravidez foi que a euforia e o medo são estranhamente parceiros e tem horários do dia para se apresentar. Se tudo fosse fácil meu bem, mãe não ganharia tanta importância e presente no seu dia, nem tanto apelido santo.

Se a preocupação em torno do primeiro filho é enorme antes de nascer, imagina depois!? Por isso vou começar a me preservar mais. Sorry para quem esperar mais de mim agora! Malu é prioridade máxima na minha task list, planilha de Gantt e to-dos. Planejada, ansiosa e escorpiana, já fico pensando no segundo!!  Incrível?! Diria que é o extinto animal novamente.

Será que só eu sou assim? Acho (quase certa) que não!

Li esse texto no blog da chará Aventuras de Maria Luiza e me diverti um bocado com ele, porque no meio desses sentimentos a nossa obrigação é se divertir.

O que vestir
1º bebê – Você começa a usar roupas para grávidas assim que o exame dá positivo
2º bebê – Você usa as roupas normais o máximo que puder
3º bebê – As roupas para grávidas são suas roupas normais

Preparação para o nascimento
1º bebê – Você faz exercícios de respiração religiosamente
2º bebê – Você não se preocupa com os exercícios de respiração; afinal, lembra que na última vez eles não funcionaram
3º bebê – Você pede a anestesia peridural no oitavo mês

O guarda-roupas
1º bebê – Você lava as roupas que ganha para o bebê, arruma de acordo com as cores e dobra delicadamente dentro da gaveta
2º bebê – Você vê se as roupas estão limpas e só lava as que tiverem manchas escuras
3º bebê – Meninos podem usar rosa, né?

Preocupações
1º bebê – Ao menor resmungo do bebê, você corre para pegá-lo no colo
2º bebê – Você pega o bebê no colo quando seus gritos ameaçam acordar o irmão mais velho
3º bebê – Você ensina o mais velho a dar corda no móbile do berço

A chupeta
1º bebê – Se a chupeta cair no chão, você guarda até que possa chegar em casa e fervê-la durante 10 minutos
2º bebê – Se a chupeta cair no chão, você a lava com o suco do bebê
3º bebê – Se a chupeta cair no chão, você limpa na camiseta e dá novamente ao bebê

A papinha
1º bebê – Você compra tudo natural e orgânico, especial para a papinha, prepara você mesma e ainda prova antes de dar ao bebê
2º bebê – Você prepara a papinha com os ingredientes comprados para a família
3º bebê – Você pega a sobra do jantar e amassa tudo com caldo de feijão

Troca de fraldas
1º bebê – Você troca as fraldas a cada hora, mesmo se elas estiverem limpas
2º bebê – Você troca as fraldas a cada duas ou três horas, se necessário
3º bebê – Você tenta trocar a fralda antes que as outras crianças reclamem do mau cheiro

Atividades
1º bebê – Você leva seu filho para as aulas de musicalização para bebê, natação, teatro, na contadora de histórias, etc.
2º bebê – Você leva seu filho para as aulas de musicalização para bebês
3º bebê – Você leva seu filho para o supermercado, padaria…

Saídas
1º bebê – A primeira vez que sai sem o seu filho, liga cinco vezes para casa para saber se ele está bem
2º bebê – Quando você está abrindo a porta para sair, lembra-se de deixar o número de telefone de onde vai estar
3º bebê – Você manda a babá ligar só se ver sangue

Em casa
1º bebê – Você passa boa parte do dia só olhando para o bebê
2º bebê – Você passa um tempo olhando as crianças só para ter certeza que o mais velho não está apertando, beliscando ou batendo no bebê
3º bebê – Você passa um tempinho se escondendo das crianças

Banho
1º bebê – Usa uma banheira nova, cheia de brinquedinhos pendurados, com sabonete especial e água fervida
2º bebê – Usa a banheira do irmão mais velho, não importa a cor, não tem mais brinquedos. Você amorna a água e usa qualquer sabão
3º bebê – Coloca o bebê em pé no box e lava com água e sabão comuns

Engolindo moedas
1º bebê – Quando o primeiro filho engole uma moeda, você corre para o hospital e pede um raio-x
2º bebê – Quando o segundo filho engole uma moeda, você fica de olho até ela sair
3º bebê – Quando o terceiro filho engole uma moeda, você desconta da mesada dele.