eating2much

São muitos os mitos que envolvem a gravidez. É angustiante ouvir pessoas descoladas e inteligentes falando que o seu bebê vai ser menina por que a barriga é  redonda, que comer canjica é bom para a aumentar o leite. Se ouvisse tudo já teria enlouquecido. Conselho… leia! E de vez em quando mande um ou outro calar a boca também por que a grávida tem direito.

Tem que ter cautela até mesmo na internet, por que o curioso lê e acredita em tudo e isso é um perigo para o bem-estar mental de qualquer um! Imagina para a curiosidade aguçada da mulher, somada a sua gravidez… Confesso que me esforço para acompanhar um único site que confio, o Baby Center Brasil. Ele existe em todo o mundo e foi adaptado para a nossa língua. É escrito por profissionais e por isso confio e recomendo. Agora, esses fóruns apresentados em Google, nem pensarrr.

Lá tem dicas boas sobre o que comer, se pode ou não fazer ginástica (li há pouco tempo sobre os efeitos da gripe suína para grávidas e fiquei mais tranquila). Tem uma coisa que adoro, que é a gravidez a cada semana. Claro que cada pessoa é diferente e cada gravidez também, mas vale a pena entender por que a memória falha e não achar que é só com você.

O que realmente importa saber é simples e muito fácil de ser seguido, quando não existem vícios. Listo alguns exemplos abaixo:

1) Faça refeições freqüentes (três principais com pequenos lanches intermediários) e em pequenas quantidades, ou seja, alimente-se a cada 3 horas.

Todos nós deveríamos nos alimentar pelo menos a cada 3 horas. Para a gestante, esse intervalo é fundamental. Ele garante que não faltem nutrientes para o feto, diminui a sensação de náusea de origem metabólica gerada pelo jejum e, por constantemente oferece energia ao organismo e favorece um metabolismo adequado, o que pode significar menor ganho de peso.

2) Não faça regimes durante a gestação.

3) Procure variar bastante o cardápio.

Quanto mais colorido seu prato, mais rico em nutrientes. Carnes vermelhas, peixes e frango devem, semanalmente, serem intercalados, para um consumo diário e adequado de proteínas e gorduras. Leite e derivados devem também ser ingeridos, para garantir bom aporte de cálcio a grávida e ao bebe. Não ha restrições quanto ao uso de leite desnatado e queijos brancos, devendo estes ser sempre preferidos em caso de ganho excessivo de peso ou dislipidemias (aumento das taxas de gordura no sangue).

Minha dica: É mito falar que o leite integral é melhor que o desnatado. O que importa é o cálcio que contêm e se reparar nas descrições nutricionais os dois tem a mesma quantidade!

Minha médica também pediu para cuidar mais da limpeza de verduras e nunca comer carne crua (exceto de peixe) por causa da toxoplasmose… Yes! Não é para ficar freak mas cautela não faz mal a ninguém. Ah, e o inocente moranguinho também deve ser esquecido por enquanto.

4) Tenha uma dieta deverá ser rica em proteínas (carnes magras, frango, peixe, ovos, leite e derivados), vitaminas e sais minerais (verduras, frutas e sucos naturais, grãos integrais/fibras).

5) Beba água em abundância para que seu intestino funcione diariamente.

A grávida que se hidrata não tem infecções. Evite apenas consumi-la com as refeições, o que retarda o esvaziamento gástrico, prejudica o metabolismo e pode facilitar azia e queimações.

6) Modere a ingestão de pães (prefira os integrais), doces, refrigerantes, massas em geral, frituras e sal, que fazem aumentar seu peso sem contribuição efetiva no desenvolvimento de seu bebê. (Essa é difícil!!!)

Farinha branca deve ser sempre que possível substituída pela integral quer em pães, como em bolos e biscoitos.

Se tiver vontade de comer doce freqüentemente, reduza a pequenas porções e saboreie bem lentamente. Também prefira sempre a geléias e compotas aos bolos e tortas. Não ingerir doces a noite, pois o metabolismo nesse período economiza calorias ao invés de queimá-las, e isso facilita o ganho de peso.

7) Evite o álcool, sob todas as formas.

8) O fumo deve ser abolido, pois está associado a problemas como partos prematuros, bebês de baixo peso, doenças respiratórias entre outras.

9) Modere o consumo de cafés (máximo de 2 xícaras pequenas ao dia), chá preto, mate e refrigerantes a base de cola, alimentos que podem provocar insônia, irritabilidade, dor gástrica, além de comprometer o aproveitamento de ferro dos alimentos.

– Calorias e ganho de peso:

No primeiro trimestre gestacional as necessidades energéticas são as de uma mulher não gestante, isto é, aproximadamente de 1800 a 2200 Kcal/dia. O acréscimo de 300 Kcal no segundo trimestre é necessário para suprir as necessidades calóricas adicionais da gestação.

As necessidades calóricas variam de acordo com diversos fatores, tais como idade, peso pré gestacional, nível de atividade física, estatura, estado nutricional entre outros.

Respondendo a pergunta do título, comer por dois é mito! Não se deixe levar por essa a não ser que queira receber  uma boa dose de gordura extra no seu corpo além do peso do bebê e todos os outros líquidos e “pesos” que já vão te preencher naturalmente.